A Itália sempre esteve presente em minha vida, mas nos últimos 16 anos esteve ainda mais. Não posso falar da Itália sem falar da minha esposa Vivian Scarazzati, estamos juntos a 16 anos, nos conhecemos na pequena fazenda dos meus avós, onde cresci.

Um dos nossos maiores sonhos era reconhecer a cidadania italiana, foram anos de estudo e pesquisas, além de todo o trabalho para juntar a documentação necessária. Viemos para a Itália com o objetivo de realizar este sonho e honrar a família da Vivian, que emigrou ao Brasil, na época da Primeira Guerra Mundial.

Antes de chegar na Itália eu morava em São Paulo, uma cidade com mais de 11 milhões de pessoas. Sempre que possível viajava para a pequena fazenda dos meus avós para ficar com meus familiares, aproveitar as montanhas, o clima fresco, a paz de um lugar calmo e tranquilo, a deliciosa comida mineira feita no fogão à lenha e também as longas conversas e risadas que uniam as refeições.

O maior desafio quando chegamos aqui foi a língua, usamos o tradutor, fizemos gestos e mímicas, falamos português misturado com italiano, espanhol, francês e inglês. Aprender a língua italiana está sendo divertido, se permitir aprender como uma criança sem medo de errar ou de passar vergonha é uma experiência transformadora.

Tive a honra de participar da quinquagésima edição da Revista dal regione di Lombardia

O que me surpreendeu foi a gentileza e o bom humor das pessoas que nos ajudaram e nos ajudam a aprender cada vez mais com a língua italiana, sempre gentilíssimas e bem humoradas. Com mais ou menos dois meses e meio eu já estava entendendo e falando o básico, já era possível estabelecer algum diálogo e usar cada vez menos o bendito tradutor, porém as mímicas e os gestos permaneceram, as risadas continuam sendo inevitáveis. 

Conforme o tempo passava a Itália foi conquistando ainda mais meu coração porque é muito semelhante à minha terra natal. Valorizo muito o ambiente familiar, principalmente quando o ser humano é respeitado pela sua essência. Me sinto em casa e abraçado por todos, estou mais próximo do céu e mais perto de Deus com uma grande energia de gratidão e prosperidade.

Quanto mais eu conheço a Itália mais apaixonado eu fico, fui totalmente aceito e incluído, não sofri preconceito ou qualquer tipo de discriminação. 

No primeiro ano foram mais de 10 mil fotos eternizando momentos e paisagens deslumbrantes. Os eventos que eu jamais vou esquecer foram: o Carnaval, meu Matrimônio, o Jogos Medievais e a Procissão Noturna nas Montanhas. 

Depois da cidadania reconhecida um outro sonho se tornou realidade, meu matrimônio. Realizar a cerimônia na Itália foi incrível, foi tudo perfeito! Depois de 15 anos de companheirismo oficializamos a nossa união e fizemos história em nossa cidade: foi  o primeiro matrimônio de um brasileiro com uma ítalo-brasileira. O próximo sonho é ajudar outros ítalo-descendentes a reconhecerem suas cidadanias. 

Sinto-me honrado em fazer parte da comunidade italiana, ter novos amigos e participar de tudo: dos eventos culturais e educativos, aperfeiçoar a língua, a cultura e todos os costumes, sem contar a culinária que é espetacular, Bendita Fiorentina! 

Falar da Itália é tão especial que eu nem me apresentei, me chamo Bruno Marcellino, tenho 35 anos, sou Publicitário e Coach, Consultor Internacional em Cidadania Italiana, Empreendedor, especialista em Marketing Online, Mídias Digitais, Internet e Tecnologia. 

Sou privilegiado em poder morar e trabalhar em qualquer lugar do mundo, sou feliz por natureza, sempre olho para frente e só tenho motivos para agradecer.

Gratitudine!

Momentos


“Antes de qualquer relação profissional, somos seres humanos e devemos tratar e ser tratados com respeito.”
Vivian Scarazzati e Bruno Marcellino

error: Conteúdo protegido pelos termos da lei.