Consultora Internacional ítalo-brasileira e sócia da empresa Pão e Vino Cidadania Italiana”. Descendente das famílias Scarazzati e Borzani, as quais emigraram ao Brasil por volta de 1900 a 1916.

A Itália sempre fez parte da minha história, desde criança estou inserida na cultura italiana. Ouvindo muitas vezes minha nonna cantarolando belas canções italianas, conversas sobre os bisnonnos que emigraram ao Brasil. 

A primeira vez que cheguei na Itália já me senti em casa, era uma sensação muito forte de já ter pisado neste solo antes, era tudo muito familiar. 

Sou formada em Biomedicina, porém nunca trabalhei oficialmente como Biomédica, pelo contrário: apesar de gostar muito da área da saúde, o meu coração foi me direcionando para outras atividades, é como se a vida já soubesse que meu propósito estava em outras áreas. Desde que me formei trabalho com meu esposo Bruno Scarazzati, publicitário. Sempre gostei muito de estudar e de ajudar as pessoas.

Sempre busquei informações sobre a minha cidadania italiana, fiquei cerca de 10 anos na fila do Consulado Italiano no Brasil e decidi buscar informações para que o reconhecimento fosse feito diretamente na Itália. Esta foi minha primeira questão: ter uma assessoria para fazer tudo com a máxima segurança, pois se ouve muitas histórias de pessoas com más intenções. Conversei com muitas pessoas que se diziam especialistas, mas já na primeira pergunta não me respondiam de forma segura. 

Passei anos falando com assessores, já tinha um script pronto rs. Contratei uma assessoria que possuía mestrado em imigração, para mim esse era um diferencial imenso, porém o meu processo foi muito tenso, informações desencontradas, em diversas outras questões que não é o caso de relatar aqui. 

O que importa é que deu tudo certo e sou muito grata por todas as experiências que vivi, pois me fez ver a oportunidade de fazer diferente. É por isso que uso a frase que, aliás é muito mais do que uma frase: “Antes de qualquer relação profissional, somos seres humanos e devemos tratar e ser tratados com respeito!”

A base do meu trabalho é o respeito, sem isso não existe diálogo, não existe prestação de serviço, não existe amizade, não existem possibilidades de expansão, não existe parceria, não existe nada, falta de respeito é simplesmente um ponto final onde o que era uma possibilidade termina antes mesmo de começar.

Depois de 15 anos vivendo com meu esposo Bruno Scarazzati, realizei o sonho de me casar na Itália para honrar a memória da minha família italiana. Fui atrás de cada detalhe, cada documento, até que consegui! A única palavra que pode descrever esse dia é: Gratidão! Foi um momento simplesmente muito significante para mim.

Hoje trabalho ajudando, de forma honesta, outros descendentes com o processo administrativo de reconhecimento da cidadania italiana em parceria com uma assessoria jurídica italiana. Gosto de tudo muito certo e organizado.

Acredito muito que os meus ancestrais italianos que emigraram ao Brasil, família Scarazzati e família Borzani, conseguirão de alguma forma ler essa linda homenagem:

“Cari bisnonni, 

Riconosco i vostri sforzi per emigrare in Brasile, oggi il vostro sangue ritorna in patria per lavorare con dignità.
Ringrazio il Brasile per aver accolto la mia famiglia durante l’emigrazione e ringrazio l’Italia per averci dato il bentornato.
Farò del mio meglio come cittadina italiana riconosciuto e aiuterò altri sangue italiano a tornare a casa.

Gratitudine!”
Vivian Scarazzati

Tradução

“Queridos bisavós, 

Reconheço os seus esforços ao emigrarem para o Brasil, hoje os seus sangues retornam à pátria para trabalhar com dignidade.
Agradeço ao Brasil por acolher a minha família durante a emigração e agradeço à Itália por nos acolherem de volta.
Darei o meu melhor como cidadã italiana reconhecida e ajudarei outros sangues italianos a retornarem à casa.”

Gratidão!
Vivian Scarazzati


“Antes de qualquer relação profissional, somos seres humanos e devemos tratar e ser tratados com respeito.”
Vivian Scarazzati e Bruno Marcellino

error: Conteúdo protegido pelos termos da lei.